POR QUE SEGUIR REGRAS DE ETIQUETA?

Por Marina Cimerman | 16/04/19

A definição de etiqueta na realidade é um sistema de regras convencionais que regulam o comportamento social. Na época de Luis XIV, o rei descobriu que os aristocratas estavam pisoteando o seu jardim, ele colocou sinais, ou étiquets, para avisá-los. Porém, os duques e duquesas simplesmente ignoravam os avisos. Finalmente, o próprio rei precisou decretar que ninguém passasse dos limites das étiquets, e assim foi. Posteriormente, o significado das regras de etiqueta, se expandiu para incluir as funções da corte, listando as regras de onde ficar e o que fazer.

A etimologia desta palavra francesa, literalmente significa cartão e refere-se ao costume da monarquia francesa de criar regras cerimoniais para os membros da corte. O cartão, indicava o dress code adequado, comportamento esperado e instruções do jantar para todos que frequentavam a corte. Enquanto estes rituais elaborados iam e vinham, a etiqueta, conhecida como é hoje, continua tradicional e constante.

Etiqueta à Mesa

Desde o início dos tempos, habilidades sociais, boas maneiras e regras foram criadas para que as sociedades cooperassem e sobrevivessem.  Os esforços humanos de interagir melhor com outros, nos levou a desenvolver formas de transformar a vida mais fácil e agradável. Ao fazer isto, algumas práticas foram desenvolvidas para todos os aspectos de nossas vidas.

Enquanto as boas maneiras à mesa certamente estavam em falta, o foco central era sobreviver. Por isso, os utensílios para alimentação surgiram por necessidade, não moda. Quando começou-se a usar fogo para cozinhar, os dedos começaram a queimar! A solução foi usar gravetos, conchas, ossos de animais e o que quer que estivesse a mão para trazer o alimento à boca. Estes utensílios, claro, não duravam muito e foram substituídos pelo cobre e outros materiais.

Apesar de existirem evidências de que os garfos eram usados durante o período inicial da história e durante o Império Romano, a Idade das Trevas na Europa trouxe muitas mudanças, inclusive o abandono dos garfos e colheres para comer. Ao invés disso eram usadas facas de dois gumes e as mãos. Porém, os garfos continuaram sendo usados no Oriente Médio e na África. Os hashis já eram encontrados nas culturas asiáticas. Sopas e caldos eram levados diretamente à boca por meio de tigelas. Além disso, enquanto se comia, o mindinho ficava esticado para ficar longe de comidas gordurosas, sendo assim usado para ser mergulhado em molhos.

Em 1533, Catherine de Medici da Itália trouxe várias dúzias de garfos quando chegou a França para se casar com Henry XI. Ela foi a primeira a usar garfos na Europa Ocidental. Considerada uma esquisitice de início, o garfo aos poucos tornou-se popular na corte Européia. Utensílios de prata de todo o tipo, com talheres inspirados na China foram criados para os ricos.

 

As regras de etiqueta nos dias de hoje

Quando estamos dentro dos limites da etiqueta, damos aos relacionamentos e a nós mesmos uma chance de crescer. Além disso, nos torna mais capazes de nos apresentar com confiança e autoridade em todas as áreas da nossa vida. Porém, não podemos confundir protocolo com etiqueta.

Protocolo é uma série de regras rígidas de comportamento que decoramos para usar uma vez ou outra, quase sempre em situações oficiais.

Etiqueta consiste em regras simples baseadas no bom senso, na cordialidade e no respeito ao próximo. São os bons sentimentos.

Todas as normas podem ser resumidas em uma regra de ouro:

“Faça com os outros o que quiser que lhe façam”

Nunca se precisou tanto de boas maneiras como no mundo contemporâneo. As pessoas aprenderam regras básicas, mas o problema é não praticá-las no dia-a-dia: nas relações familiares, sociais e comercias. A etiqueta é a responsável por temos uma convivência social mais humana, respeitosa, agradável.

As regras de etiqueta existem para facilitar e nos guiar em diversas situações, e não para complicar como muitas pessoas pensam.

A tendência, com o passar dos anos, foi buscar a praticidade nas tarefas cotidianas. Mas, não se esqueça das delicadezas que podem embasar nossas atitudes e relacionamentos.

A tendência é que o homem passará muito mais tempo dentro de casa. Isso já está acontecendo devido a recessão mundial; insegurança das grandes cidades que nos coloca mais tempo em casa com amigos; por que a tecnologia facilitou as comunicações e aninhou as pessoas em casa.

Todo mundo pode um dia se sentir inseguro, mas é neste momento que a etiqueta norteia nosso comportamento e escolhas, facilitando nossas vidas. Um toque de criatividade, um sorriso nos lábios e boa vontade transformam as diversas situações da vida social e profissional em momentos de prazer.

Compartilhe:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

2017 Chez Marina | Desenvolvido e gerenciado por Chez Marina

Show Buttons
Hide Buttons